A origem latina da palavra Respeito significa “ação de olhar para trás”. Quando existe uma consideração por algo ou alguém, o passado do considerado é admirado e sua jornada é apreciada.

Quando tratamos do Respeito em um casa de Umbanda, temos que ressaltar alguns trajetos muito importantes:
– a visão de vida das entidades que atuam na conscientização, energização e guarida da casa e dos frequentadores;
– a manifestação de todas as energias que chegam à casa, não importando a vibração ou intento;
– a força da casa que sedia esta casa, mais antiga que a gira;
– a história e conhecimento de cada frequentador, contribuindo com o que pode naquilo que tem.

Com tantas vertentes trabalhando juntas é importante se respeitar todas!

Respeite o Preto Velho, respeite o Consulente, respeite o chão que pisa, respeite o Exu, respeite o Cambono, respeite o perdido, respeite o teto que te protege, respeite o Pai de Santo, respeite o obsessor, respeite as paredes, respeite o Caboclo, respeite o trabalhador.

Respeite tudo que existe na gira, do sábio ao humilde, do anjo ao jurado, da música ao incenso, tudo tem sua história e é necessário respeitar cada história individual.