A linha dos doutores ou médicos é constituída por Espíritos que quando encarnados foram: Médicos, Enfermeiros, parteiras, Boticários, Pajés, Curandeiros, Orientais (que exercem sua própria medicina bem antes das civilizações ocidentais), Religiosos (monges, freis, padres, freiras, etc.), Alquimistas, ou ainda, que exerceram qualquer outra atividade ligada à cura das enfermidades dos seres humanos, seja por métodos físicos, científicos ou espirituais.

  • O trabalho dos médicos do astral se funda no amor e na caridade e seus trabalhadores são abnegados trabalhadores que estão prontos e de braços abertos para acolher e auxiliar a todos que deles necessitam, indistintamente.
  • São muito discretos em sua forma de se apresentar e trabalhar, e estas formas mudam de acordo com a religião ou local em que irão atuar. São Espíritos de grande conhecimento, seriedade e elevação espiritual.
  • A corrente dos médicos não é formalmente uma linha ou falange de guias de umbanda, mas sim uma corrente que se associou ao trabalho dentro da Umbanda, onde encontrou mais uma oportunidade ajudar e transmitir seus conhecimentos.
  • Este tipo de trabalho em qualquer atendimento espiritualista é sempre muito intenso e não é incomum que se formem verdadeiras juntas médicas em cada centro, terreiro ou reunião mediúnica regular.
  • Atuam intensamente junto às equipes medicas da terra, em hospitais, consultórios e centros cirúrgicos, operando equipamentos etéreos, auxiliando e intuindo no trabalho dos médicos encarnados, inclusive em pesquisas e desenvolvimento de novos medicamentos e tecnologias para o auxílio dos enfermos deste plano.
  • Apesar de todos os guias poderem trabalhar em processos de cura, cuidar da saúde física e mental dos encarnados e desencarnados, esta é a especialidade destas entidades.
  • São exímios conhecedores e manipuladores fluídicos, porém também fazem uso de técnicas que são conhecidas no plano terrestre como Apometria, Fitoterapia, Homeopatia, Cromoterapia, Reiki, Meditação, entre várias outras.
  • Sua manifestação, normalmente, é muito suave e tranquila, pois possuem uma energia mais sutil, o que faz com que sua ligação com o médium incorporante seja mais tênue, levando os médiuns menos habituados ao trabalho com os doutores a terem um pouco mais de dificuldade na firmeza da incorporação.
  • Ao contrário do que ocorre em outras linhas, os chamados médicos, podem se apresentar com o nome de sua última reencarnação, ou simplesmente o nome do agrupamento que representam.

“Toda a medicina honesta é serviço de amor, atividade de socorro justo, mas o trabalho de cura é peculiar a cada espírito.
A medicina humana será muito diferente no futuro, quando a Ciência puder compreender a extensão e complexidade dos fatores mentais no campo das moléstias do corpo físico.

Muito raramente não se encontram perturbações diretamente relacionadas com o psiquismo.

As preocupações excessivas com os sintomas patológicos aumentam as enfermidades, e as grandes emoções podem curar o corpo ou aniquilá-lo. Se isso pode acontecer na esfera da atividade vulgar, imagine o campo enorme de observações que nos oferece o plano espiritual, para onde se transferem todos os dias, milhares de almas desencarnadas, em lamentáveis condições de desequilíbrio da mente.

O médico do porvir conhecerá semelhantes verdades e não circunscreverá a ação profissional ao simples fornecimento de indicações técnicas, dirigindo-se, muito mais, no trabalho curativo, às providências espirituais, nas quais o amor cristão represente o maior papel.”

André Luiz – Chico Xavier – Frases de Lísias em Nosso Lar