Livro: 7 Caminhos para o Autoamor

Wanderley  Oliveira por  Pai João de Angola

Cap. 5.9 – Frustração e Fracasso

Você comete uma falha no serviço, esquece uma chave, vai mal numa entrevista de emprego, não passa em uma matéria que estava em recuperação e perde o ano, distrata alguém que é importante para você, perde o celular pela terceira vez em pouco tempo, faz planos que não consegue realizar e outros tantos insucessos por aí. De repente, vê-se tomado por um forte sentimento de frustração.

O propósito deste sentimento é dizer-lhe: preste mais atenção, dedique-se mais para alcançar melhores resultados, tente novamente, tenha mais cuidado com suas palavras e condutas. No entanto, por uma questão de falta de educação emocional, a maioria das pessoas pula da frustração para a sensação de fracasso com muita facilidade, abrigando o derrotismo em seu coração.

Errar não quer dizer que você é um fracassado; quer dizer que precisa melhorar naquele assunto, naquela conduta ou naquele contexto. Mesmo que tenha de melhorar em muitos aspectos, isto não depõe contra você; ao contrário, indica-lhe um grandioso caminho de aprendizado que mais cedo ou mais tarde se realizará.

Nesta hora, quem se compara com o que os outros já conquistaram se cobra ainda mais e acentua a impressão de insucesso, que vai impedi-lo de descobrir que você é um ser singular e tem seu valor pessoal. Você se distancia do autoamor compulsivamente, estabelecendo disputas internas que incendeiam a inveja negativa e estabelecem certezas pessoais fora da sua realidade.

Assim, para aprisioná-lo, ainda mais na sensação de fracasso surge o sentimento de culpa que é um dos moradores mais desconhecidos da sombra mental, porque raros são os que conhecem sua origem e função.

A culpa abre as portas emocionais para a doença da baixa autoestima, que o leva a se desvalorizar e fazer comparações, diminuindo suas capacidades e esforços. Você entra em um estado de autoagressão e conflito que tira sua energia para reagir e reverter a situação, e o atola na angústia.

Errou? Esqueceu? Perdeu? Não foi bem? A frustração pode ajudá-lo bastante desde que a escute como um alerta e continue mantendo intacta a sua crença no que pode fazer e em como refazer aquilo que for preciso. Frustração não é fracasso, e este só acontece quando desistimos de acreditar em nós mesmos, quando não queremos tentar novamente e refazer nosso caminho, quando escolhemos a pior parte de nós e esquecemos nossos valores, conquistas e vitórias.